19 de dezembro de 2013

Presentinhos de Natal #Wishlist

Ontem minha família tirou o amigo secreto para o Natal, inspirada nisso, decidi criar uma lista de presentes legais para mim. Embora eu ache meio bobinho os blogs que ficam colocando wishlist todo mês, entrei na onda por causa do Natal, e até que ficou bonitinho. 
Esses são presentes que eu queria ganhar no começo de dezembro. Alguns eu já ganhei e outros eu comprei e alguns ficam de dica para me presentearem :D


1- Camiseta da Mulher Maravilha da Art Rock
Fazia algumas semanas que eu estava babando nessa camiseta na vitrine da loja. Embora super herói ser uma tema infantil, está na moda. E eu acabei ganhando essa bela blusa do meu lindo namorado na primeira semana se dezembro. 

2- Livro: 'O Chamado do Cuco'
Mais uma das loucuras da incrível J. K. Rowling. Amo HP então não poderia deixar de desejar este livro, fica a dica ai pro meu parente que me tirou no amigo secreto hein.

3- Batom Revlon Ultimate Lipcolor
Minha mãe tem dois dessas coisinhas lindas e eu sou apaixonada, estou louca para comprar um. É um pouco carinho comparando aos batons normais, mais ele fica na boca 24 horas! Pode comer, beijar, escovar o dente que o lindo não sai da boca, e eu amo batons assim.

4- Base BB Cream L'oreal
A famosa base milagrosa que tem tudo, vi em outros blogs sobre essa base e achei incrível o resultado. Ela realmente parece fazer milagre, não é oleosa, é antibrilho e ainda tem proteção solar. Como o preço é super bom, em média uns 30 reais, eu já comprei ela no Submarino, mais não chegou ainda.

5- Máscara para Cílios Falsies Waterproof da Maybelline
Eu costumava usar e gostar muito das makes da Avon, mais como descobri que eles fazem testes em animais, prometi pra mim mesma nunca comprar nada dessa marca. E para substituir, estou começando a me apaixonar pela Maybelline. Ela é mais cara, mais nem tanto, nada absurdo. E as makes são de muito mais qualidade. A partir de agora estou comprando maquiagens da Maybelline, L'oreal e O Boticário.

6- Relógio Technos
Meu relógio antigo quebrou faz um tempo, mas como sou uma pessoa muito pontual, estava desesperada já de ficar sem relógio. Eu estava babando nesse modelinho no site do Extra. Meu namorado aproveitou a Black Friday e comprou ele pra mim de Natal (é, ele não aguentou até o Natal para dar o presente).

7- Caneca de Câmera
Gosto de fotografia e amo café, então essa caneca é uma combinação perfeita e criativa.

8- Katana
Sou atleta de Karatê, estou na faixa marrom, e nada melhor do que uma espada para apresentação nos treinos. Meu pai me deu de presente de aniversário duas katanas parecidas com essa da foto. São lindas demais.

9- Aparador de Livros
Por Favor, eu quero ganhar aparadores de livro. É tão difícil achar pra comprar aparadores legais, eu estou necessitando.

10- Palette Make B Rio Sixties da O Boticário.
Outro item cobiçado por mim. Ganhei ele de aniversário do meu namorado maravilhoso. As Makes da Make B são incríveis. 

11- Galaxay Tab 2 10,1''
E por fim, o mais caro e mais cobiçado dos presentes, um Tablet. Estou faz tempo querendo um desses. Vai ajudar muito na faculdade e facilitar minha vida. Eu quero *-*

E por enquanto é só! Curtiu? 

18 de dezembro de 2013

Tempo de Natal

Vejo as luzes, ouço os sinos
Pisca-pisca, ding-dong
O Ho ho ho
Quer uma bala?

É tempo de Natal.

As árvores ganham importância
Luzes por toda a parte
O brilho das estrelas,
nos olhos, nas árvores, nas casas.

É tempo de Natal.

Papel colorido, laços e fitas.
Presentes e promoções
Correria, lotação, filas
O dinheiro e o saldo no vermelho

É tempo de Natal.

Reunida a família está,
Abraços, sorrisos e falsidade
E o porquinho deitado na mesa
Todos irão degustar.

É tempo de Natal.

O bebê e sua mãe
Seu pai e os animais
A estrela guia até lá
No presépio montado na sala de estar

É tempo de Natal.

12 de dezembro de 2013

Resenha do Livro 'Como Ser Mulher', de Caitlin Moran

Vi esse livro na resenha de um Blog que não lembro o nome, e achei interessante. Eu sempre fui totalmente contra o machismo nojento dessa sociedade, mais eu ainda não era um feminista, então decidi ler um livro sobre o assunto.

A verdade é que a Caitlin é uma louca, totalmente pirada, mas como já se dizia em Alice in Wonderland, as melhores pessoas são assim. Ela é, obviamente, uma super feminista. E no livro ela fala do feminismo usando exemplos de seu próprio cotidiano. Ela fala desde a infância, a adolescência, a primeira menstruação, o primeiro sutiã, o primeiro cara, o primeiro emprego, o primeiro filho,etc.

Ao ler esse livro podemos sentir que conhecemos a autora, conseguimos captar sua personalidade. O que posso dizer que Moran é uma piadista. Ela adora piadas e o seu livro é totalmente cheio de humor, ela faz graça com sua própria vida e suas experiencias. Ela teve uma vida um pouco incomum, uma infância diferente e com muitos irmãos. Teve sorte pois assim que saiu de casa conseguiu um emprego com salário suficiente para manter seu próprio apartamento. Coisas assim não acontecem no Brasil. E sim, ela é linda e ela é jornalista!

Ser Mulher não é nada fácil. Mais o que afinal é ser mulher? Caitlin quebra os paradigmas, ser mulher não é isso que vemos na rua, não é preciso usar vestidos curtos, saltos altos e maquiagem pesada para você ser mulher. É muito além disso. É superar tudo isso. A verdade é que não existe regra para ser mulher, ser mulher é justamente viver sem uma regra pré estabelecida por uma sociedade machista.

Se você quer saber um pouco mais sobre o universo do feminismo e se divertir um pouco, vale a pena ser esse livro. Vale a pena conhecer a Caitlin!

E essa é a nossa autora Linda.


31 de outubro de 2013

Fim do Outubro Rosa


Hoje é dia 31 de outubro, portanto, último dia do querido outubro rosa. Como trabalho em uma ONG de apoio a pessoas com câncer, vivi de perto esse movimento que tem apoio universal.

Durante esse mês, pesquisei e aprendi muito sobre o câncer de mama. Esse câncer é o que mais mata mulheres, ele atinge muitas de nós, todos os anos. O engraçado é que esse câncer, primeiramente, tem como prevenir. E segundo, se descoberto nos estágios iniciais, ele tem mais de 90% de chance de cura.

Mas ainda as mulheres não tomaram consciência de que é preciso fazer os exames sempre, principalmente o autoexame e mamografia. Assim, esse número de mulheres com câncer só tende a aumentar.

E é por isso que a campanha do outubro rosa é tão forte no mundo inteiro. Ela existe pra conscientizar nós mulheres, que tomemos cuidado com essa doença, diminuindo assim a sua incidência.

Mas não adianta sair por ai pintando tudo de rosa e não agir. Percebo que muitas pessoas apoiam, curtem, compartilham essa ideia, ajudam a campanha, fazem movimentos, corridas, caminhadas, iluminam prédios de rosa, fazem eventos, shows, stands e tudo, mas não fazem o que mais importa.

Talvez eu esteja errada, mas pelo que pude perceber, as pessoas ficam fascinadas pelo movimento, mas, pera aí, você mulher, fez o autoexame? Foi ao ginecologista nos últimos 365 dias? Se informou sobre prevenção? Está praticando esportes? Tem uma alimentação legal? Tem cuidado da saúde? Você tem se cuidado?

Essa campanha é muito importante, e o objetivo dela é a favor da vida, lutando contra a doença. Então, quando você ver aquele prédio bonito iluminado de rosa, lembre disso, marque sua consulta, faça o autoexame, e se cuide mais, principalmente se você tiver mais de 40 anos.



30 de outubro de 2013

Oi, eu sou Social Media

[Secretária fazendo meu cadastro no consultório médico...]

-Moça, qual a sua profissão? - pergunta ela, casualmente.

-Analista de mídias sociais. – respondo.

-Analista do que?

-De mídias sociais.

-O que isso faz?











Quantas milhares de vezes já passei por diálogos desse tipo. E não é apenas em locais onde é preciso fazer cadastro, como médicos, por exemplo. Mas também na rotina, na rua, com os amigos e familiares. As pessoas não conseguem entender o que é essa profissão. Eu sei que é uma área nova, que está em ascensão, que não é muito conhecida. Mas todo mundo tem facebook, ninguém consegue ter uma pequena ideia de o que pode ser um analista de mídias sociais? Ou será que a mente das pessoas bloqueia a ideia de existir uma profissão pra isso? E se eu disser que sou 'Social media', pior ainda! O que recebo em troca é uma super cara de interrogação.



Então galera, o que o social media faz?

Essa é uma profissão que vem crescendo muito justamente pela importância desse trabalho. O Analista de mídias sociais cuida, obviamente, das mídias sociais das empresas. Esse é um trabalho importantíssimo, pois se uma empresa não está inserida na internet e nas mídias digitais, ela praticamente não existe. No facebook, por exemplo, você possui vários clientes em potencial, mais é preciso estratégias pra chegar até ele, para fazer o usuário virar seu cliente e comprar seu produto.

Quando uma pessoa houve falar de uma nova empresa, logo ela vai procurar a empresa no facebook. Se a instituição não possuir uma página, a pessoa já vai esquecê-la na hora. Se a empresa tiver uma página, mais toda desleixada, com layout feio, pesado, sujo, abandonada, com poucas postagens ou conteúdo ruim, a credibilidade dessa empresa já despenca perante o consumidor. Boa página, mais chances de uma boa empresa. Geralmente a página é representação da empresa física, então o seu cliente pode ter uma ideia da sua loja só pela sua página. 


Por isso que não é qualquer um que pode ser um Social Media. Não basta apenas saber usar o facebook e saber postar uma foto que a pessoa pode ter essa função. Não deixe seu sobrinho, parente ou amigo inexperiente cuidar da sua página, contrate um profissional que entenda o que está fazendo.

O facebook pode deixar uma imagem boa ou ruim pra sua empresa. Qual você prefere? A escolha é totalmente sua.

Mídias digitais são um importante investimento. Algumas empresas ainda não acordaram para isso. Seu cliente está lá, você precisa estar também! Da forma certa, do jeito certo você vai conquista-lo e vai vender produtos. 


Você precisa estar lá, todos os dias, eles precisam te ver, ver seu produto, pra eles lembrarem que precisam do seu produto e para eles comprarem o seu produto! Entenderam?

Não é apenas postar “fotinha” no face. É preciso ter técnica, análise, estudo, criatividade, dinamismo, e muito mais. 




E pessoas, o trabalho do social media não é fácil, não é simples, é cansativo, é preciso estudar, se preparar, não é a festa que vocês acham que é. Não é só postar, é o que postar, como postar, de que forma postar, por quê postar, pra quê postar, pra quem postar, como obter resultados, como calcular resultados, como contornar problemas, como responder às críticas, como ajudar o cliente, etc. É preciso estudo, preparo, o analista de mídias sociais precisa ser alguém que sabe o que faz. Não contrate qualquer um para ser seu social media. O Marketing digital já tem um custo tão baixo, invista então na capacitação do profissional responsável. Não suporto comentários do tipo: "No seu trabalho você não faz nada, fica só no facebook o dia inteiro". É, eu fico no facebook o dia inteiro sim, mais esse é o meu trabalho, não é fácil, e você não iria conseguir fazer, mas eu amo o que faço e por isso, faço bem. :)


29 de outubro de 2013

Feliz dia do livro

Hoje é dia do livro! Que tal me dar um de presente pra comemorar?

Estou com uma fila imensa de livros para ler! Semana passada fiz a festa em uma promoção do Submarino e levei cinco livros e uma vez. Fora mais dois já que estavam lá em cima da minha escrivaninha. Mas isso não te impede de me dar sempre mais e mais livros! Uhul!

Como diz o ditado: "eu nunca tenho dinheiro mais sempre terei livros". E como sou do tipo que coleciona livros, sou apaixonada por eles. Quem acertar no presente pra mim? Me dê um livro! Eu vou amar! (ps: meu aniversário é mês que vem, então fica a dica.) 

O livro que estou lendo no momento é sobre jornalismo literário, mais parece um livro comum sobre assassinatos, a diferença é que esse é um história real que aconteceu no estado do Kansas nos Estados Unidos. Estou lendo ele para fazer uma resenha para a faculdade (que também vou postar aqui). Me surpreendi com esse livro, "A sangue frio", de Truman Capote, é muito bom, realmente prende a nossa atenção.

Durante as aulas eu realmente ando lendo com pouca frequência, não consigo ler muitos livros por mês, mais com as férias chegando eu coloco tudo em dia! Agora vou colocar aqui a listinha dos livros que estão na minha prateleira esperando para que eu os leia. Vou colocar na ordem que eu pretendo ler.

-Como ser mulher, de Caitlin Moran.
-O Projeto Rosie, de Graeme Simsion.
-Sal, de Leticia Wierzchowski.
-Morte Súbita, de J.K. Rowling.
-Quem é você, Alaska?, de John Green.
-A garota que eu quero, de Markus Zusak.

E aqui se resumem minhas férias, se eu tiver tempo vou falar desses livros aqui.

Mas, temos também os livros que eu gostaria de ter, de comprar, de ganhar, que caíssem do céu pra mim! São eles:

-De volta aos quinze, de Bruna Vieira.
-Métricas Em Mídias Sociais, de Jim Sterne.-Teorema de Katherine, de John Green.
-Cidades de Papel, de John Green.
-Clarice na Cabeceira, de Clarice Lispector.
-Jornalismo Digital, de Pollyana Ferrari.
-Feliz por nada, de Martha Medeiros.
-Um lugar na janela, de Martha Medeiros.
-O Estrategista em Mídias Sociais, de Christopher Barger,
-Passarinha, de Kathryn Erskine.
-A arte da guerra, de Sun Tzu.
-1889, de Laurentino Gomes.
-Extraordinário, de R.J. Palacio.
-Manual de Marketing em Mídias Sociais, de Darren Barefoot e Julie Szabo.
-Eu sou Malala, de Christina Lamb.

Bom, pra vocês verem, a lista é grande e não tem fim! Poderia ficar aqui pra sempre escrevendo nomes de livros que eu quero!

Então, querido livro, já que hoje é seu dia, queria te fazer um agradecimento especial. Obrigada por existir, por completar meu tempo livre, por estar sempre comigo onde eu estiver, por nunca me deixar sentir sozinha, por me fazer viajar milhares de quilômetros e conhecer milhares de lugares sem sair do lugar. Obrigada pelos amigos, pelos inimigos, pelos amores e paixões, pelas lágrimas e pelas risadas que suas histórias me proporcionaram. Simplesmente, obrigada por existir. Enquanto eu puder ler, eu vou poder ter momentos felizes. Livros: Minha paixão! <3






22 de outubro de 2013

Até onde o consumismo leva você

Somos coisas. Fomos coisificados. Reduzidos a coisas. A sociedade nos criou assim, nossos pais nos criaram assim. As instituições impuseram isso deste que elas existem. E nós aceitamos, embora não admitimos isso de fato. Somos números, gráficos, porcentagens, tabelas, pesquisas e estatísticas. Fomos criados para suar e comprar, nascidos para gerar dinheiro aos outros. Todos nós. Nos matamos todos os dias no trabalho e estudos, tudo isso pra termos dinheiro, para comprar coisas, para deixar os ricos mais ricos, mais aumentar a riqueza das instituições. Para pagar contas, enriquecer os bancários. Para comprar coisas, enriquecer os empresários. Os ricos tem dinheiro para tudo, menos para aumentar o salário do seu funcionário.

Quanto vale seu dia? Sua hora? Sua vida reduzida a tantos míseros reais por hora? Cadê o seu valor? Essa é a nossa sociedade. Onde o de cima sobe, e infelizmente, o de baixo desce. Mais os de cima precisam dos de baixo para subir. E os de baixo, sem saber ou não, ajudam os ricos a cada vez ficarem mais ricos. Você os ajuda quando se vê obrigado a comprar um tênis de tal marca, quando você precisa comprar um celular mais legal. Quando você precisa de um óculos de marca, porque se não, o que vão pensar de você? Quando você é fanático por moda, e necessita estar sempre com as últimas novidades de roupas e acessórios. Fazendo isso, gastando, comprando, você deixa os burgueses mais ricos, e nós, vamos ficando cada vez mais pobres e endividados. E cadê você no meio disso? Qual a sua importância? Aonde está a sua dignidade?

Porque temos que viver nessa sociedade onde o valor da pessoa é o que ela veste? Você faz isso? Julga a pessoa que pelo o que ela tem? A roupa pode te dar um primeira impressão, mais nunca vai te mostrar o valor real de uma pessoa. Porque aquele que só usa marcas mais caras tem que ser tratado especial do que aquele que está com roupas rasgadas? Preste atenção com relação a medida que você está usando para dar valor as pessoas. Você acha que sua vida vale o preço desse seu tênis? Pois sua roupa nunca vai te fazer melhor do que ninguém, só serve para te deixar complexado, pra você se sentir bem ou mal, com a roupa da moda ou não, e ficar triste porque não tem dinheiro pra comprar a nova coleção. Esse consumo não vai te fazer bem, não vai te fazer feliz.

Aquele que vive pelo dinheiro só serve a sua carteira. Comprar, comprar e comprar. Você nunca vai se cansar, nunca estará satisfeito e nunca estará feliz. Minha dica? Já que é pra gastar, gaste menos com a aparência e gaste mais com o que vai te fazer feliz e vai te proporcionar bons momentos. Então, viaje mais. Gaste muito dinheiro com viagens, conheça o mundo, as belezas, as naturezas, as pessoas, os povos, as culturas. Parcele em trocentas vezes, esteja sempre pagando alguma viajem. Viva a vida e curta. É melhor você viver pagando as viagens, que são momentos felizes, do que viver pagando aquela roupa, que quando você terminar de pagar, já está fora de moda.



2 de julho de 2013

Dumb Ways to Die in Rio

A um tempo atras compartilhei aqui um vídeo muito legalzinho chamado "Dumb Ways to Die", que significa, jeitos estúpidos de morrer.  Agora achei na internet uma paródia deste vídeo adaptada para o Rio de Janeiro, "Dumb Ways to Die in Rio", que mostra jeitos estúpidos de se morrer no Rio, ou no Brasil em geral. O Vídeo é irônico e mostra os problemas que temos aqui na Brasil, mais uma forma de protestar contra o sistema precário da nossa nação. O vídeo é a mesma musiquinha, o mesmo estilo fofo, é legal até você perceber que o vídeo tem um certo ar de realidade, e uma triste realidade que vivemos no Brasil.



"Tome cuidado no Rio!"


26 de junho de 2013

Resenha do livro "Palavra por palavra", de Anne Lamott

Cara Anne Lamott,

Eu estou escrevendo porque li seu livro, e nele você diz que gosta de ouvir o que as pessoas têm a falar sobre ele. Então aqui estou eu. Não estou preocupada se você irá ler isto ou não e muito menos se será algo importante, mas agora está na internet livre para todos que quiserem ler.
Por onde começar? A sim, pela infância, como você ensinou.
Desde criança sempre amei escrever, era algo que fazia com facilidade. Enquanto meu irmão ficava horas pra tentar fazer uma redação de tarefa na escola, eu já estava na quinta linha depois de 2 minutos. Já ganhei 2 prêmios de literatura na minha cidade quando tinha 9 ou 10 anos. Mas apenas com uns 13 ou 14 anos que comecei a pegar gosto por leitura. Hoje sou fanática por livros, gosto de ler e colecionar livros, tenho vários e quero sempre aumentar minha coleção. Já havia pensado em escrever um livro sim, mas aqui no Brasil esse negócio de publicação é complicado, não sei nem se existe o emprego de agente literário. Aqui no Brasil são poucas as pessoas que tem prazer na leitura e leem muitos livros. Então na verdade eu gostaria de escrever um livro apenas por escrever. Pra falar que eu tenho um livro meu com meus registros, que eu consegui, que eu sou capaz, e para caso se um dia alguém quiser ler. Para ter gravado minhas memórias e meus sentimentos, pra não dizer que vim ao mundo e não deixei nada para que lembrassem de mim. Adorei seu livro, achei incrível saber tudo que um escritor passa para fazer um livro, que precisa escrever, reescrever e reescrever de novo, que não é fácil como muitos pensam. Lendo o livro realmente me senti sentada nas suas aulas ouvindo você ensinar, mesmo sem te conhecer. Ótimas dicas, ótimas histórias, você realmente é uma escritora incrível. Indico que todos os que gostam de escrever leiam este livro palavra por palavra.

Atenciosamente,
Alessandra Maria

25 de junho de 2013

Sobre trabalhar em uma ONG

Trabalho em uma ONG que cuida de pacientes com câncer, mais meu papel aqui nada tem a ver com saúde. Trabalho como Analista de Mídias Sociais no setor de divulgação, sim, uma Ong grande como a nossa tem este setor, já que precisamos propagar nossa marca e nosso trabalho para que mais pessoas nos ajudem a ajudar os outros. E não, eu não sou voluntária, uma Ong também funciona como uma empresa e ela precisa de funcionários que se dediquem e trabalhem 8 horas por dia. Aqui temos alguns que fazem serviço de voluntario, mais estes não podem dedicar mais que uma hora do seu dia, já que possuem outras ocupações.
Quando me perguntam onde trabalho, as pessoas sempre me questionam sobre a credibilidade, a confiança, e a verossimilidade desta Ong. Não as culpo por pensar isso vendo que muitas Ongs são fraldes e funcionam apenas de fachada. Sempre respondo a mesma coisa. Eu não trabalho no departamento financeiro, nem no administrativo e nem afins. Mas, o bom de se trabalhar com mídias sociais é o feedback instantâneo. Eu vejo todos os dias diversos e-mails, comentários, depoimentos, mensagens e compartilhamentos de pessoas contando suas histórias. Histórias muitas vezes tristes, que se tornam alegres graças as ajuda da Ong. Faz meses que trabalho aqui e nunca vi nenhuma frase de um paciente mal atendido ou insatisfeito. Todos estão sempre gratos a nós pela ajuda na vida deles, que eles não saberiam o que seriam deles sem a Ong. Então uma coisa é certa, muitas pessoas sobrevivem graças a tudo isso aqui. Se você quer saber se uma Ong é confiável antes de ajudar, é simples: entre no facebook dela e veja o que os pacientes falam. É público, todos podem ver. Pessoas que não possuem planos médicos, só conseguem aqueles remédios caríssimos graças a Ong. Aqui nós fazemos o que o governo deveria fazer e não faz: cuidar do seu povo doente e disponibilizar qualidade de vida a população.

Para encerrar, coloco aqui algumas palavras que uma paciente da Ong mandou pelo inbox do facebook:

"Parabéns pelo maravilhoso trabalho que vocês fazem ajudando as pessoas com essa doença , pelo acolhimento que eles recebem quando chegam e carinho e atenção de vocês. Que Deus continue ajudando vcs !!"
E. G. S.

14 de junho de 2013

Correria

Vai e vem, vem e vai, vira pra lá, vira pra cá, desvia do poste, ultrapassa a senhora lenta, cuidado. Olhe pra um lado, olhe pro outro, sinal verde mais não tem carro, corre, corre. Pare, a senhora de cabelos vermelhos te fez parar.

Ela ‘deu seta’ para virar e você não viu, quase bateu de frente com ela, ai você para. Percebe que o rosto dela está borrado com um pó laranja, talvez seja resíduos do salgadinho chips barato que ela comprou por quilo numa mercearia qualquer, deve ter custado 50 centavos e sujou toda a boca, mãos e roupa com esse pó laranja que talvez seja fedorento e você da graças a Deus por não ter sentido o cheiro ruim do pó. Talvez ela ainda esteja com fome.

Ela está usando um casaco beje que deve ter comprado em um brechó do bairro, o casaco também está sujo. Então ela da meia volta, te deixando confuso do destino dela e do seu caminho. Ela para em frente a uma loja de artigos de cama, mesa e banho para a casa.

Onde será que esta mulher suja, de cabelos vermelhos, casaco beje e sapato que você nem sequer reparou mora? Então, o que isso vai mudar na sua vida, talvez nada, ou talvez a próxima vez que comer salgadinho chips barato comprado numa mercearia qualquer você não se esqueça de limpar os resíduos caídos no rosto e na roupa.

Enfim você encontra seu caminho e segue em frente, desviando de pequenas histórias que você ignora simplesmente por hábito ou pressa.





6 de junho de 2013

Resenha do livro “A arte de entrevistar bem” de Thais Oyama

Por Alessandra Maria

Neste livro, Thais Oyama mostra aos estudantes e interessados em jornalismo como funciona a entrevista. A pré-entrevista, agendamento, explica o modo de se vestir do repórter, o modo de chamar o entrevistado, onde fazer a entrevista, como, quando, qual, o que é melhor, o que é pior, o que fazer para não dar nada errado na entrevista, como entrevistar pessoas difíceis, como editar e escrever a entrevista e por fim explica como fazer para transformar a entrevista em um desastre. Para isso ela usou de seus anos de experiência e entrevistas com colegas da área.

Antes, a autora explica como é a relação do repórter e assessores de imprensa, no caso de entrevistados importantes. A principal ‘ordem’ que ela dá para os leitores é para pesquisar tudo sobre o entrevistado, sabendo sobre o que você esta falando, não saem perguntas idiotas e há mais chances de se ter uma boa entrevista. Ela indica que os encontros devem ser sempre pessoalmente. E-mail e telefone são para serem usados eventualmente, apenas quando não há outro jeito ou para checar alguma informação esquecida depois da entrevista. Jornalistas tem que saber o Dress Code, ter senso para vestir-se corretamente dependendo do local e do entrevistado. Chamar a pessoa sempre de Sr. ou, se for uma cargo importante, o nome correto do cargo, chame pelo nome apenas se o entrevistado permitir. Gravadores e blocos de anotações, anote os tópicos e falas importantes e cheque sempre se o aparelho está funcionando, não esquecendo de perguntar ao entrevistado se ele se importa com o fato da gravação. Inclusive, Thais destaca muitas dicas para quebrar o gelo, por exemplo, comece a conversa com um assunto comum que a pessoa goste e depois vá para a entrevista, deixando as perguntas mais difíceis por ultimo.

Durante, a jornalista mostra coisas que geralmente podem acontecer durante a entrevista e dá dicas de como fazer certo. O repórter tem que ser humilde e não pode mostrar ao entrevistado que sabe mais, é preciso saber ouvir, escutar com atenção, não mostrar desinteresse e sempre perguntar quando não souber algum algo que ele estiver falando. Para grandes revelações, Thais usa o termo “poker face”, que significa cara de paisagem, e é essa cara que nós jornalistas temos que fazer quando o entrevistado solta uma “bomba”.

Depois, Oyama fala como driblar os pedidos impossíveis dos entrevistados, é preciso grande jogo de cintura do repórter. Além disso, dicas de edição da matéria. Ela fala as diferenças para entrevistas em rádio e TV do impresso. Na rádio e TV o entrevistado precisa falar bem sempre, explica como lidar com cada tipo de pessoa difícil de ser entrevistada. Ainda mostra experiência de vários outros repórteres comentando o estilo deles, cada repórter precisa ter seu estilo, para cada vale um jeito e uma regra diferente, ninguém é igual. E por fim ela fala como transformar a entrevista em um desastre comentando casos que aconteceram.

O livro é muito bom, indico a leitura, obrigatória para jovens jornalistas. Thaís Oyama encanta com sua inteligência, bom humor e ótima escrita neste livro. Guardei para mim muitas dicas dela.

4 de junho de 2013

Nostalgia

Hoje vi a notícia que saiu na Uol, o Banco Central do Brasil irá lançar agora no 2º semestre deste ano as novas notas do real de 2 e 5 reais. Lembrei então que a primeira postagem que fiz no blog foi sobre isso, quando o BC lançou as notas de 100 e 50, eu estava um pouco revoltada pois achei ridículo cada nota ter um tamanho diferente. Mais e agora, quem é que não prefere a notinha novinha na carteira hein? rs Fiz o blog no início de 2012, então já vai fazer quase 1 ano e meio. Uma vez eu li em um livro, que as palavras foram feitas para serem soltas, por isso escrevo aqui, não importa quantas pessoas vão ler, o que importa é que eu deixei meu texto livre para quem precisar, escrevi por simples prazer, assim as minhas palavras vão para o mundo através da internet ao invés de ficarem presas em um arquivo de word qualquer em uma pasta do meu computador. <3


3 de junho de 2013

Disquetes

Alguém lembra disso? haha Parece piada agora, algo totalmente antigo e velho, mais não é tanto assim. Eu peguei o fim da fase dos disquetes, então já dava pra colocar uns 5 arquivos (de word) de apenas um. Momento nostálgico, eu estava indo dormir ontem e de repente me veio estas relíquias em minha mente.
Lembro que lá pela minha 6ª série do ensino fundamental, todos tínhamos que levar disquetes para as aulas de informática. Quem tinha disquetes coloridos era o mais legal da turma. Uma vez meu pai chegou em casa trazendo pra mim uma caixa com uns oito, coloridos. Verde, azul, vermelho. Foi incrível, ele disse que era pro trabalho mais eu poderia usar 2, e poderia levar a caixa com todos pra escola. Criançada morram de inveja da menina da caixinha de disquetes coloridos. E as etiquetas então? Não preciso nem comentar. Como os disquetes tinham pouco espaço, era preciso uma pessoa ter vários deles, então colávamos aquelas etiquetas autoadesivas de caderno.
Disquetes também são coisinhas muito sensíveis, qualquer coisa e eles já quebram, o sonho de uma criança era despedaçar um deles. É, eu fiz isso junto com meu irmão uma vez com um bem velhinho.
Já salvei muitos trabalhos de escola nestas coisinhas, e quando vejo um só consigo lembrar da sala de informática daquela escola que eu odiava e cara de louca da minha professora.


24 de maio de 2013

Meu guarda-chuva colorido

Ontem decidi comprar um guarda-chuva. Não sabia qual queria, só sabia que queria um dos grandes, nada de sombrinhas, porque elas são pequenas e perco fácil. O céu estava mega nublado, fui até o MMT e me apaixonei pelo belo guarda-chuva colorido. Só sei que rezei pra chover e poder usa-lo, mais não choveu. :(
Chegando na faculdade, todos amaram minha nova aquisição de apenas R$10,00. O resultado foi uma sessão de fotos por Kássia Hoshi.








fim :)

7 de maio de 2013

Coluna sobre Câncer Masculino


Câncer Masculino: Sem vergonha de prevenir

Visitas regulares ao médico e autoexames são coisas que não existem na rotina da maioria dos homens brasileiros. Isso se deve, muitas vezes, na falta de preocupação do sexo masculino com relação à própria saúde. 

O câncer de próstata, por exemplo, é o de maior incidência nos homens. Os sintomas iniciais são quase imperceptíveis, num estágio mais avançado, percebe-se a dificuldade para urinar, jato urinário fraco, sensação de não esvaziamento da bexiga e sangramento na urina. Existem diversas causas, como obesidade e dietas ricas em carne vermelha, o fator genético também influencia.

Outro mal masculino é o câncer de testículo, sua incidência tem aumentado em pessoas muito jovens, a partir dos quinze anos. É uma doença agressiva, com rápida evolução devido a velocidade da duplicação das células. Porém é de fácil diagnóstico, quanto antes for descoberto, mais alto as chances de cura. O sintoma mais comum é o aparecimento de um nódulo duro, indolor, do tamanho de uma ervilha. Mas também pode aparecer aumento ou diminuição do tamanho dos testículos, dor imprecisa no abdômen, sangue na urina, aumento ou sensibilidade nos mamilos e dor ou desconforto nos testículos. 

É de imensa importância a prevenção do câncer. O autoexame dos testículos é um hábito fundamental. É preciso também manter uma alimentação saudável, evitar o uso do tabaco e de bebidas alcoólicas e praticar exercícios físicos. Mas o principal meio de se prevenir é visitando o médico regularmente, cada caso é diferente, só um especialista pode dar todas as informações e fazer os exames necessários.

No caso de diagnóstico positivo do câncer, procure o GAPC – Grupo de Apoio a Pessoas com Câncer. Situado na Av. Marechal Campos, 1033 – Santos Dumont, Vitória-ES. Telefone: (27) 3233-4831.

________________________

Este texto que eu fiz foi publicado no jornal Capixabão de Vitória-ES. http://n.capixabao.com/16242

9 de abril de 2013

Resenha do Livro “A prática da reportagem” de Ricardo Kotscho


Este livro mostra uma visão bem mais clara sobre a profissão de repórter. Aqui, percebemos pra que serve realmente o jornalismo e como ele funciona. Além de mostrar, é claro, como se faz uma reportagem em todas as suas fases e quais são suas consequências. Ricardo Kotscho conseguiu colocar nessa obra a sua própria experiência de vida, ele não apenas colocou trechos de reportagens, mas colocou detalhes sobre a produção e apuração de cada matéria do ponto de vista jornalístico. Pra mim, apenas estudantes de jornalismo ou jornalistas se interessariam na leitura deste livro e lhe dariam a devida importância. Pra quem não tem prática em reportagem, esse realmente é o livro base que todos os que querem ser repórter deveriam ler.

O livro é do ano de 2004, porém, Ricardo colocou trechos de reportagens suas que datam épocas muito mais antigas, mas mesmo sendo escritas há muito tempo, os temas por ele abordados ainda são atuais como enchentes, fome, miséria, roubo, corrupção, etc. A forma com que ele escreve envolve o leitor, não é uma leitura cansativa, muito menos chata. Ela é interessante e rica de informações para os jovens jornalistas.

Em apenas 80 páginas, Kotscho nos mostra um pouco de sua experiência de vida em cada tipo de reportagem. Na página 19 por exemplo, um item me chamou muita atenção quando ele diz sobre a importância de repórter e fotógrafo trabalharem juntos, essa matéria dele me deixou fascinada justamente por mostrar algo que eu mesma vivi. Sempre concordei que “o cara da imagem” e “o cara do texto” devem andar sempre juntos, pensar juntos e conversar muito sobre o tema que estão apurando e suas ideias. “Repórter e fotógrafo têm que trabalhar sempre juntos”, escreveu Ricardo, isso é necessário para o bem de uma boa reportagem. Na minha experiência, em dias de conflito entre repórter e câmera, a apuração e matéria final não ficavam boas, ou seja, o relacionamento dessas duas pessoas é muito importante e reflete diretamente no resultado final da reportagem.

Ricardo conta suas experiências dentro da redação, de relacionamento com chefes e colegas de profissão, de apuração, de produção, de viagens curtas e longas, de grandes coberturas e pequenas matérias, como achar fontes, como tratar as fontes e como ser um jornalista com reponsabilidade social. Outra coisa que achei muito interessante foi a parte que ele fala o que fazia quando não se tinha nenhuma notícia para cobrir. É preciso ir pra rua, lugar de repórter é na rua. Pegar o fotógrafo e dar uma volta, ver de perto a realidade das pessoas e quem sabe achar um fonte com uma boa história para contar, afinal, o jornal não pode deixar espaços vazios, é preciso ir atrás do conteúdo. Legal também é saber dos desdobramentos que a matéria pode ter dentro do jornal de acordo com o fato e a reação do público, o mesmo assunto pode sair em várias edições do jornal com informações e pontos de vistas diferentes.

Mais a reportagem dele neste livro que mais me marcou foi a que esta na página 66, o título que o autor colocou é “A fome tem nome”. Identifiquei-me muito com esta matéria, adoraria apurar um tema parecido. Em geral eu não gosto muito de reportagens com cunho social, mas essa do Kotscho passou pra mim o que eu acho que deveria ser a essência de todas as matérias jornalísticas, que é a responsabilidade social. É lindo imaginar o quão grande é o poder das palavras. Neste caso, Ricardo Kotscho conseguiu mudar o mundo com sua reportagem, sim, ele mudou o mundo daquela família que passava necessidades e mostrou ao público uma realidade que a maioria das pessoas nem se preocupa em enxergar.

Em geral, é um livro muito bom, com conteúdo interessantíssimo, leitura obrigatória para quem quer ser jornalista. E o autor é um grande repórter que com certeza ganha um novo fã a cada pessoa que lê este livro.

Por Alessandra Maria

18 de março de 2013

Mais um dia...

Eu estou andando do mesmo jeito, como todos dias. No mesmo horário, com a mesma pressa. O céu está nublado, o vento frio que me mantém acordada. A música está alta em meus ouvidos e hoje eu não quero reparar em nada do que sempre reparo. Só quero esquecer tudo a minha volta, aumento o volume e sigo em frente. Meu corpo segue, mas minha mente quer estabilizar, ela quer ficar quieta um momento, sozinha. Estou precisando de muitas coisas nesse momento, inclusive comida e uma boa companhia. Mas nada que quero eu posso ter agora, penso que é sempre assim, nunca iremos ter tudo o que queremos. Temos a ilusão do querer ter. Mas estou sozinha, não me sinto bem, mais queria poder me sentir bem assim (e la esta o verbo 'querer' de novo), já que é assim que vou viver minha vida, sozinha. Estou com preguiça de olhar pros lados e atravessar a rua. Não preciso olhar mesmo, esse horário o movimento é escasso e espero que os motoristas estejam acordados o suficientes para me enxergar. Os sentimentos estão pulando dentro de mim e faço uma barreira para empurra-los em um canto, para que fiquem apertados e se mexam menos. Assim posso pensar em outras coisas e tentar me distrair. E já vou finalizar este pequeno texto, pois escreve-lo está me fazendo lembrar de tudo que eu agora só quero esquecer.

12 de março de 2013

Era tudo cordiforme...

Essa é a história de uma garota que via o mundo de uma forma diferente. Diferente de nós.
Para ela tudo era igual, ela via e imaginava tudo igual. Do jeito que ela queria que fosse.
Ela imaginava um mundo cordiforme.
Onde o planeta, as nuvens, as borboletas, os sorvetes, os beijos, os desejos, as pessoas, os animais, as flores, as árvores, as frutas, o café, o pão, as pedras, e tudo que ela poderia ver e sentir, tudo cordiforme.
Ela queria enxergar assim, e assim acontecia.
Ela tinha domínio de tudo que via, e transformava em sua mente.
Como se ela usasse óculos com lentes cordiformes que deixava tudo assim.
Vocês podem me perguntar por quê ela era assim.
Eu não sei ao certo.
Eu penso que ela é uma garota doida e lunática.
Alienada até certo ponto, to tipo nada realista e muito sonhadora.
Porém, ela tem um grande poder que poucos tem. Ou poucos tem coragem de ter.
Apenas queria ver o mundo com mais amor. Queria transformar o mundo em um lugar melhor. Ela fez isso, apenas na sua humilde imaginação. Mas o que o pensamento dela vai ajudar na sociedade?

Acho que por hoje ela veio apenas ensinar uma palavra nova para o nosso vocabulário.
Você sabe o que é cordiforme?

Segundo o Michaelis:
cordiforme 
cor.di.for.me 
adj m+f (cordi+forme) Que tem forma de coração.





28 de fevereiro de 2013

Todo mundo está feliz?

Paremos para refletir sobre o que nos faz feliz.

E então? Você é feliz?

Você pode ser feliz mais achar que não, você pode ser feliz mais estar num dia ruim, você pode ter acordado feliz mais ai choveu. Ou você você pode estar deprimido e algo o fez ficar feliz. Muitas vezes não precisamos ser completamente felizes para sermos felizes. Afinal, a felicidade plena e constante não existe. E as vezes pequenos gestos ou coisas podem mudar seu dia e seu sorriso, coisas que aos olhos de outros possam ser insignificantes. Como por exemplo uma casquinha de sorvete!

Isso aconteceu comigo hoje. Uma publicação no facebook, os 10 primeiros comentários ganhariam duas casquinhas de sorvete em um fast food no shopping. Por mais incrível que pareça, eu consegui! Fui a oitava pessoa a comentar, marcar, curtir e compartilhar a postagem.

O que eu não imaginava é no tamanho da felicidade que ia me invadir por causa disso. Uma coisa simples que me custaria 3 reais. Por quê ficar feliz por algo tão ausente de valor?

Pois é, foi simples, foi divertido, e aposto que será gostoso!

E não ligo para aqueles que me disseram "Nossa, você está feliz por causa disso?"
Se não buscarmos a felicidade nas pequenas coisas, seremos infelizes.
Afinal, você ganha algo todos os dias?
Que tal um sorvete?


25 de fevereiro de 2013

As 20 frases mais ditas antes de morrer

1-Atira se for homem!
2-Atravessa correndo que dá.
3-Ah, não se preocupe, o que não mata, engorda.
4-Fica tranquilo que este alicate é isolado.
5-Sabe qual a chance de isso acontecer? Uma em um milhão.
6-Essa camisa do Palmeiras não é minha não....eu sou corinthiano como vocês...
7-Adoro essas ruas pois são super tranquilas.
8-Tem certeza que não tem perigo?
9-Meu sonho sempre foi saltar de para-quedas. E neste instante vou realizá-lo. E eu mesmo o dobrei!
10-Aqui é o PT-965 decolando em seu primeiro vôo solo.
11-Confie em mim.
12-Aqui é o piloto. Vamos passar por uma ligeira turbulência.
13-Capacete? Imagina, tá calor.
14-Eu sempre mudei a temperatura do chuveiro com ele ligado. Não ia ser hoje que alguma coisa iria acontecer.
15-Deixa comigo.
16-Desce desse ônibus e me encara de frente, sua bicha!
17-Você é grande mas não é dois!
18-Vamos lá que não tem erro.
19-Tá comigo, tá com Deus!
20- Não está estragado não, tá uma delícia!

21 de fevereiro de 2013

Having a car

Ter um carro. Acredito eu que este seja o sonho de muita gente. Principalmente pessoas como eu, jovens universitários desafortunados com anseio por liberdade, praticidade e velocidade.
A vontade de toda criança é dirigir, começa com o velotrol, depois bicicleta, carrinho de bate-bate, e depois é hora de esperar os demorados 18 anos chegarem para poder ter permissão de dirigir um carro ou uma moto de verdade.
Bom, no meu caso, demorou, mas chegou. Logo atingi a maioridade brasileira .... mas ainda nem vi a cor da sensação de dirigir. É, tadinha da antiga eu que achava que logo depois do aniversário de 18 anos iria correndo para a auto-escola e tirar carteira de motorista dois meses depois.
As vezes as coisas não saem como esperamos. Dinheiro? haha, eu tinha, a habilitação para dirigir é bem cara. Mais a realidade é que não fui correndo para a escola de direção pois eu havia quabrado o braço três  dias antes dos dezoito aninhos. E agora? O tempo é o que me falta.
Mas, entretanto, porém, todavia, eu ja dirigi! Sim! Em lugares supeeeeeeeer afastados com meu pai do lado, mas dirigi né. E digo que é uma sensação muito gostosa e espero nunca enjoar disso. Só de pensar no dia que terei meu carro e nunca mais andarei de ônibus... Acorda! rs Um dia eu terei. It's a big dream! Mas pra dar valor as coisas grandes, temos que sofrer um pouco antes. Assim é a vida.


20 de fevereiro de 2013

Plano de fundo da Semana

Esta é a nova tag que criei onde trarei toda semana  planos de fundo em alta qualidade feitos por mim. Sim, também sou designer. Essa semana para começar, escolhi corujas.


19 de fevereiro de 2013

Câmera LOMO

Esse post é para quem gosta de fotografar. Conheci este tipo de câmera recentemente e achei ela incrível. É a lomography!

Ela é o podemos chamar de o tipo mais estiloso e fashion de câmeras vintage que existe!

Sim, ela é antiga, e sim, ela é barata *-*  Custa em média uns 200 ou 300 reais. Mas não, ela não tira foto digital e tão tem cabo USB. Pra postar no face é preciso revelar e scanear a foto.

Mas mesmo assim, essa câmera é muito legal, são vários modelos de diversas cores, tamanhos e estilos diferentes. Cada maquina tira foto com um efeito diferente. Umas de olho de peixe, outras fazem montagem, outras mudam a iluminação, outras tiram em formatos variados, tem até máquinas para tirar foto embaixo d'água.

Fiz umas artes pra vocês com as câmeras que mais gostei, cada uma com 3 fotos de exemplos, assim fica fácil de ver o efeito que cada máquina proporciona.







E essa sou eu com as Lomos da minha chefe Pri! A laranja é uma Fisheye e no pescoço é a Diana.




Comentem quais modelos e quais efeitos vocês mais gostaram. Qual você compraria?
Para comprar essas câmeras, clique aqui.




5 de fevereiro de 2013

Nessecidade de mudança

Você está naquele momento em que se sente preso de alguma forma, que anseia por algo que somente as vezes você sabe o que é. Você que mudanças, não, você nessecita delas! Vendo o mundo girar e girar e você não consegue acompanhar, está parada, flutuando, nem pra cima nem pra baixo, nem pra trás, nem para a frente. Você quer mudar, mas como? Onde achar mudanças? Dentro de mim mesmo, é o que dizem.
O que queremos muito, sempre tem algo assim. Um plano ou um objeto que necessitamos. Porém, eles não chegam até nós. Será que se perderam? Será que o CEP estava errado? Ou somente apenas você não está percorrendo o caminho certo para chegar onde você quer.
Acredite, aquela mudança que você tanto quer vai chegar no momento que você menos esperar, e isso vai mudar sua vida de cabeça pra baixo e vai te inundar de alegria, basta estar no caminho certo.
Mas aviso, ninguém disse que seria fácil, é díficil, nada é fácil nessa vida. É um desafio, com consequências boas, então você precisa encarar. 

Eu procurei, eu achei.
Eu pensei que seria fácil, foi díficil.
Eu achei que podia perder, eu venci.
Eu estava infeliz e agora é só alegria.
Não desista, força!


4 de fevereiro de 2013

For listening - Jayesslee

Estava eu fuçando no Youtube e achei essas cantoras maravilhosas: Janice e Sonia, porém são conhecidas como Jayesslee. Elas são da Austrália. O sucesso começou em 2008 quando fizeram seu primeiro vídeo no Youtube. Não imaginavam quantas assinaturas, seguidores e visualizações teriam. A voz da dupla encantou e elas viraram hit na internet. Hoje são famosas e fazem shows pelo mundo afora. Confira os vídeos.

 

Gangnam Style versão acústico ficou ótimo!




Vocês também curtiram? Adorei a voz delas.
E este é o site das australianas: http://www.jayesslee.com/



31 de janeiro de 2013

Meus momentos: Desafios da vida

      Agora eu já posso ver, posso sentir. Algo grande está por vir. Consigo ver, está muito perto de mim. Existe um certo medo, do desconhecido. Mas também uma gigantesca ansiedade. O que está por vir?
Dificuldades? É como uma montanha, sim.
      Vejo seus montes e que quero escalar, quero chegar logo lá. É fácil escalar uma montanha? Não é! Mas é ela que vai te levantar, te fazer chegar la no topo. Sem essa montanha você iria ficar lá no simples e comum chão para sempre. Porém, é preciso muito coragem, força e determinação para dar esse passo, um pé atrás do outro, sempre. Sem nunca olhar para trás, sem nunca pensar desistir.
      Quando eu estiver caindo, vou me segurar, vou me apoiar em braços amigos, não deixarei o vento forte ou a chuva me derrotarem. Eu quero a vitória, eu quero chegar lá no topo! E quando eu estiver lá no alto, poderei olhar todo o vale, todo o infinito que meus olhos podem alcançar e pensar: Eu consegui! Sim, eu consegui, meu mérito, meu sonho conquistado! E então descobrir que a felicidade se conquistou durante a escalada.
      Agora você pode olhar pelo caminho que percorreu e ver como valeu a pena. Tanto sacrifício, esforço, suor, noites mal dormidas  tudo isso valeu a pena. Você venceu este desafio de sua vida. Mas calma, outros estão por vir. Tem muitas montanhas esperando você para escala-las, elas se chamam oportunidades. Nunca deixe uma grande oportunidade passar, e jamais desista.


Inspiração do dia: Super Nail Art

Para inspirar o dia, ideias de unhas artísticas de alto grau de dificuldade. Algumas são realmente bem exageradas que eu usaria só como filha única, mais vale a pena conferir, tem desenhos incríveis!














beeijos
;)